Cinema: "X-Men: Primeira Classe"



De “X-Men: Primeira Classe”, pouco esperavam os fãs e nada esperavam os demais. Mas não foi pela pouca expectativa que o filme acabou por surpreender à todos. A interação dos personagens de Charles Xavier (James McAvoy) e Erik Lensherr (Michael Fassbender) basilou a essência de toda a história. Dentro de uma atmosfera Hobbesiana e Rousseana, Xavier e Magneto são duas personalidades que se contrapõem. Distintos, um aceita a raça humana como desprezível e o outro acredita no homem equilibrado. De um lado, o humilde e sofredor, do outro, o riquinho e privilegiado. E de tal ambiguidade nasce uma amizade curiosa e invejável.

Como pano de fundo, uma atmosfera de Guerra Fria é retratada e consegue impulsionar a intenção dos roteiristas em mostrar questões fundamentais sobre a busca da aceitação pessoal, a evolução do ser humano e os conflitos raciais. O diretor Matthew Vaughn não deixa a trama histórica carente de criatividade e de boas cenas de ação. O filme é moderno, trazendo cenas memoráveis (como a da movimentação do satélite).

O longa, em linhas gerais, vai abordar a adolescência dos mutantes, a descoberta de seus poderes e suas consequências. Nesse contexto, Charles Xavier e Erik Lensherr são os responsáveis para tutelar os inexperientes mutantes a fim de impedir uma Terceira Guerra Mundial (objetivo do vilão Shaw). Porém, a amizade entre Xavier e Erik passa a revelar pontos divergentes entre os personagens, o que define o destino dos mesmos e que mais tarde dará origem a dois grupos distintos, a Irmandade (de Magneto) e os X-Men (de Chavier). 

Michael Fassbender e James McAvoy estão geniais. Impulsão de um, equilíbrio de outro, pessimismo de um lado, do outro, otimismo, porém, o respeito mútuo é que torna a dinâmica dos protagonistas ainda mais complexa. Já Bacon criou um dos melhores vilões de toda a série, exibe concretude no papel, arrepia. Boa parte do longa também se concentra nos poderes dos outros mutantes, retratados como criaturas fascinantes, porém vítimizadas pela complexidade de suas condições anormais.

 “X-Men: Primeira Classe” é um ótimo blockbuster, com qualificadas atuações e cenários, com uma montagem interessante sobre a Guerra Fria, e com um argumento simples, no entanto convincente. Qualquer filme que se propõe a explicar a origem de uma saga, já bem explorada, traz uma grande responsabilidade consigo, pois concluiu a imagem que o expectador (principalmente o grande fã) possui da história. Eis nesse filme uma delicada finalização da essência X-Men, um exemplo a ser seguido.




X-Men: Primeira Classe (X-Men: Primeira Classe), 2011, Estados Unidos, 132 minutos.

Cotação: 7/10


7 comentários:

Rafael Carvalho disse...

Acho que o grande mérito desse filme é desenhar os contornos ideológicos e comportamentais de personagens que a gente já conhece, mas que aqui são mais aprofundados. Além disso, é muito interessante a constituição de uma forte amizade por pessoas com pensamentos distintos sobre o ser mutante e sua relação com os demais humanos. O roteiro, portanto, é ponto forte aqui, além das ótimas cenas de luta e adrenalina.

Brenno Bezerra disse...

Depois do fraco do Wolverine, este conseguiu retomar com maestria a boa sucessão dos 3 primeiros filmes da série. Eu Adorei.

Victor disse...

Adorei o filme também! A construção dos personagens Magneto e Xavier são o grande destaque para mim. De maneira muito bem argumentada, cada um com a sua motivação, os dois são um contraponto muito interessante, que é feito de modo sutil até, para não cair na ideia pronta de bem e mal. Também vale mencionar o resgate histórico, que deixa o clima mais pautado na realidade, ainda que alternativa. E eu já acho o personagem do Kevin Bacon muito caricato, mas nada que atrapalhe tanto assim.

Alan Raspante disse...

Realmente, uma boa surpresa ;D

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

gostei do filme... e concordo com victor, o bacon tá super caricato...

O Falcão Maltês

366filmesdeaz disse...

Olá! parabéns pelo blog! queria lhe propor uma parceria.
estou lhe adicionando no meu blog, se puder retribuir eu agradeço.
abraço
www.366filmesdeaz.blogspot.com.br

Anônimo disse...

Olá Flávia,

Sou leitor do Observatório do Cinema e sou cinéfilo de carteirinha. Eu estou mandando esse email porque estou trabalhando numa empresa que desenvolveu um portal sobre cinema - o Cinema Total (www.cinematotal.com). Um dos atrativos do site é que você cria uma página dentro do site, podendo escrever textos de blog e críticas de filmes. Então, gostaria de sugerir que vocês também passassem a publicar seus textos no Cinema Total - assim vocês também atingem o público que acessa o Cinema Total e não conhece o Observatório do Cinema.

Se vocês gostarem do site, também peço que coloquem um link para ele no Observatório do Cinema.

Se você quiser, me mande um email quando criar sua conta que eu verifico se está tudo ok.

Um abraço,

Marcos
www.cinematotal.com
marcos@cinematotal.com

Postar um comentário

top