Cinema 2011: ranking janeiro-fevereiro

Uma das novas seções que o Observatório do Cinema irá apresentar em 2011 são os rankings bimestrais de estreias no cinema. Serão considerados apenas os filmes de lançamento original (no seu país de origem) no ano corrente e que estrearam no Brasil no mesmo ano, dos quais, a cada dois meses, serão listados os cinco com melhor avaliação (a partir de cálculo de média harmônica das notas dos editores do blog, representada entre colchetes). Assim, apesar de carregar certa injustiça ao não incluir importantes estreias que chegam ao país com grande atraso, o contexto de lançamento original é preservado, com a base de comparação justificada no ano de produção dos filmes. Pretende-se que esses rankings sejam liberados um mês após o término do bimestre a ser analisado (como se vê, certamente esses primeiros não respeitarão essa regra), e trarão também as outras obras lançadas no período e que não chegaram a ocupar posição na lista (Ainda estrearam). Para finalizar, serão indicadas as produções que não se enquadram nas especificações dos rankings, e que são, então, aquelas que só estão chegando ao Brasil com desvio em relação ao seu ano de lançamento (Filmes remanescentes, onde estarão apenas obras avaliadas pelos dois editores).

Abaixo, o ranking de janeiro-fevereiro. (Os links nos nomes dos filmes no ranking são para suas respectivas páginas no IMDb; nos listados em remanescentes, para suas resenhas no blog.)


#1 | Bruna Surfistinha [6,5]

Mesmo com todos os desvios é possível extrair do filme alguma mensagem sobre, por exemplo, a importância do sexo em uma relação amorosa, tudo de forma bem plastificada e sintética. Bruna Surfistinha é, inegavelmente, uma obra divertida sobre uma mulher que descobriu, em meio a altos e baixos em sua vida, que gosta do que faz, ainda mais se isso lhe retribui fama e dinheiro. É um filme que não será lembrado pelo seu conteúdo, mas pela temática sexual que traz e pelas belas curvas de Deborah Secco. É uma pena, pois poderia ser diferente. (resenha completa) (Flávia)


#2 | Desconhecido (Unknown) [5]

Os suspenses de ação que envolvem trocas de identidade e grandes conspirações já foram bastante e bem explorados no Cinema, e é neste subgênero que se enquadra Desconhecido. Embora não traga qualquer traço de originalidade em sua trama, o filme consegue se manter graças a uma direção eficiente e a uma narrativa com poucas concessões. Se por um lado as participações de Bruno Ganz e Frank Langella representam ótimos momentos, as atuações de January Jones e Aidan Quinn pouco acrescentam a seus papeis sem dimensão. (Mateus)


#3 | Santuário (Sanctum) [4]

A produção de James Cameron se faz visível em vários aspectos, seja na condução de algumas cenas, seja na ótima trilha sonora — momentos que parecem sugados de
Avatar. Mas isso funciona, assim como a excelente fotografia e alguns bons momentos de tensão. O problema maior de Santuário é, como se esperaria, a trama superficial, que coloca um drama familiar em meio ao drama do homem versus natureza. E é justamente no primeiro que o filme não consegue envolver. (Mateus)


#4 | Caça às Bruxas (Season of the Witch) [3]

Nicolas Cage, além de já ser um ator que divide opiniões, passa por uma fase de trabalhos em filmes pouco expressivos, salvo sua atuação em Kick Ass: Quebrando Tudo. O diretor, Dominic Sena, não consegue repetir aqui a sua boa performance em 60 Segundos, realizando uma direção fraca em meio a uma história rasa, sem nexo algum. Caça às Bruxas deveria ter ido diretamente para as locadoras, não merecendo o glamour cinematográfico. (Flávia)


#5 | O Ritual (The Rite) [2,7]

Com um roteiro por vezes interessante, mas, em sua maioria, confuso demais, O Ritual se destaca apenas pela atuação de Anthony Hopkins e por uma abordagem um pouco mais realista do exorcismo, sem a inserção de cenas do terror trash e sem sustos gratuitos. No entanto, o longa é apenas mas um filme sobre a religião e o sobrenatural, sendo que nem as interpretações de Colin O'Donoghue e Alice Braga são capazes de tirá-lo do senso comum, sendo essas pouco expressivas. Em meio aos clichês típicos, O Ritual é um longa que comprova a atual dificuldade de valorizar o gênero suspense. (Flávia)


Ainda estrearam: O Besouro Verde [2], Brasil Animado [não avaliado], Justin Bieber: Never Say Never [não avaliado] e Mulatas! Um Tufão nos Quadris [não avaliado].

Filmes remanescentes: Bravura Indômita [9], Cisne Negro [8,9], 127 Horas [7,9], O Discurso do Rei [7,5], O Vencedor [7,5], Enrolados [7], Além da Vida [6], Biutiful [5,8], O Turista [3,4], Amor e Outras Drogas [3,4] e As Viagens de Gulliver [1,6].



9 comentários:

Marcus Cramer disse...

Putz, só film e ruim, hein? haha Pra mim, nem Bruna Surfistinha se salva. Déborah Secco de fato surpreende, alguns momentos são engraçados, mas no geral o roteiro é fraco e tem vários clichês.

Mateus Selle Denardin disse...

É, já esperávamos que esse primeiro ranking seria assim. Afinal, nesses primeiros meses do ano os cinemas ficam principalmente com grande parte dos filmes da temporada de premiações (nos Estados Unidos e mais ainda aqui). Estreias originas nesse período são bem escassas mesmo. Ainda assim, gosto bastante de BRUNA SURFISTINHA (e, mais curioso, já esperava por um bom filme antes de vê-lo). O resto só entrou por falta de escolhas melhores, como mostram as médias.

Victor Nassar disse...

Putz, lista difícil essa né? hehe Ali em baixo, prefiro o Cisne Negro que Bravura.

Natalia Xavier disse...

Nossa, dos 5 filmes, nao me interessei em ver nenhum =P hahahaha

Apesar de chamar minha atenção com o trailer por conta de Anthony Hopkins no papel, O Ritual possui uma trama já bem batida, e eu nao quis me decepcionar a ponto de levantar grandes expectativas com o filme... E bom, eu tenho medo de filmes assim, rs...

Bjs

Kamila disse...

Os dois primeiros filmes possuem um nível levemente melhor que os três últimos filmes...

Rodrigo disse...

Admito que demorei pra entender porque longas como Cisne Negro e Bravura Indômita não entraram rs. Bem, uma lista coerente com os filmes. Mas prefiro Santuário a Desconhecido, e nada é pior do que Caça às Bruxas, que pra mim, ainda é o pior filme do ano. Abraços.

intratecal disse...

Realmente, essa lista tá meio complicada! hehe

Desses até tive um certo interesse por Santuário, quem sabe um dia assista!

Wallace Andrioli Guedes disse...

Bem, levando-se em conta o atraso com que algumas produções estrangeiras chegam nos nossos cinemas, era de se esperar mesmo um ranking com filmes fracos. Desses, vi apenas BRUNA SURFISTINHA (que acho bom) e CAÇA ÀS BRUXAS (uma bomba!).

alan raspante disse...

Vi poucos filmes citados na lista. Ah, consegui gostar mais de "Bruna" que vocês, daria um 7! rs

Abs.

Postar um comentário

top